11 3201-7000 contato@grupoprevine.com.br



Prevenção

No controle das doenças ocupacionais, provocadas pela inalação de ar contaminado com poeiras, o objetivo principal deve ser minimizar até eliminar a contaminação do local de trabalho, através da adoção de medidas de proteção coletiva. Quando as medidas de proteção coletiva não são viáveis, ou enquanto estão sendo implantadas ou avaliadas, devem ser usadas medidas de proteção individual: os protetores respiratórios (respiradores).

Medidas de proteção coletiva

umidificação do ambiente com lavagem constante do piso;
exaustão localizada;
ventilação local ou geral;
enclausuramento total ou parcial do processo produtor de poeiras;
mudanças de “lay out” da empresa;
substituição de matérias primas patogênicas por outras menos tóxicas e,
alterações do processo produtivo, entre outras.

Protetores respiratórios (respiradores)

As orientações e recomendações sobre seleção e uso de respiradores estão contidas na Instrução Normativa Nº 1, de 11/04/94. Os protetores respiratórios podem ser classificados em dois tipos básicos:

aparelhos purificadores (máscara a filtro): estrutura facial dotada de um ou mais filtros específicos para poeiras ou substâncias químicas, e

aparelhos de isolamento: usados em ambientes pobres em oxigênio (teor menor que 18% de volume) ou em ambientes contaminados a altas concentrações. Podem ser autônomos (cilindros de ar ou oxigênio) ou de adução de ar (bomba manual ou motorizada).

Monitoramento da exposição ambiental

Para o monitoramento da exposição dos trabalhadores e das medidas de controle, deve ser realizada uma avaliação sistemática e repetitiva da exposição à poeira de sílica. Essa avaliação ambiental consiste na aspiração de um volume de ar conhecido nos locais de trabalho, através do sistema de bomba de vácuo, sendo que esse ar é filtrado para análise quantitativa do material particulado retido. A todas e quaisquer atividades nas quais os trabalhadores estão expostos à sílica aplicam-se as recomendações do Anexo Nº 12 da NR-15 da Portaria 3214/78.

Controle médico dos trabalhadores expostos

Do ponto de vista da legislação trabalhista, segundo a NR-7 da Portaria Nº 3214/78, a sílica é classificada como uma poeira fibrogênica, isto é, que provoca fibrose nos pulmões. Com base nessa classificação, os exames de rotina para monitoramento de trabalhadores expostos devem incluir obrigatoriamente:

Radiografia de tórax: deve ser realizada na admissão e posteriormente a cada ano;
Espirometria: deve ser realizada no exame admissional e posteriormente a cada dois anos.

Sílica e câncer

Em 1996 a IARC - International Agency for Research on Câncer classificou a sílica como grupo I, ou seja, substância descrita como carcinogênica para humanos. A questão da associação entre exposição à sílica e/ou silicose e câncer de pulmão é ainda muito polêmica.

Links relacionados

Textos Online
NIOSH Review
OSHA Topics
Sílica e silicose


 






Serviços
CIPA – NR-5 | PCMSO – NR-7 | PPRA – NR-9 | Exames Ocupacionais

Treinamentos
Curso para Designado de CIPA

Treinamento de Brigada de Incêndio

Treinamento para Trabalho em Altura

Treinamento de EPI


Notícias
Previne ministra palestra sobre Câncer de Mama!

Nova Unidade Previne em Cumbica/ Guarulhos!


Unidades
Itaquera | Santana | CEAGESP | Cumbica |







Contato: contato@grupoprevine.com.br | (11) 3201-7000